Destaque

Após entregas, Emília Câmara amplia resolutividade

A chegada da UTI do Hospital Regional Emília Câmara e a confirmação de que a UTI pediátrica ficará em definitivo...
Leia mais
Destaque

Prefeitos sertanejos na XXV Marcha dos Prefeitos em Brasília

Dos dezessete municípios do Sertão do Pajeú, dez participaram a da XXV Marcha dos Prefeitos em Brasília, que teve início...
Leia mais
Destaque

Amupe reúne deputados e prefeitos em Brasília

A tradicional reunião entre deputados federais, estaduais e prefeitos e prefeitas organizada pela Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) aconteceu nesta...
Leia mais

Neto de 7 anos de Lula morre de meningite em Santo André; ex-presidente quer ir a enterro

Lula com lenço no rosto

         Lula com lenço no rosto Foto: Mauro Pimentel / AFP

O neto de 7 anos do ex-presidente Lula morreu nesta sexta-feira (1º), vítima de meningite meningocócicaArthur Araújo Lula da Silva deu entrada às 7h20 desta sexta no Hospital Bartira, da rede D’Or, em Santo André, no ABC paulista, com quadro instável, segundo boletim médico divulgado pela instituição. O quadro se agravou, e às 12h11 Arthur morreu.

Em geral, a meningite é caracterizada pela inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A doença pode ser causada por vários agentes, como vírus e bactérias. Os principais sintomas são febre, dor de cabeça, vômitos, náuseas, rigidez de nuca e manchas vermelhas na pele. 

A morte de Arthur, que é filho de Sandro Luis Lula da Silva, ocorre um mês depois da morte de outro familiar do ex-presidente, que está preso em Curitiba, condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Os advogados do ex-presidente Lula vão entrar com um pedido para que ele compareça ao velório e ao enterro do neto Arthur Araújo Lula da Silva. A família pretende fazer o velório e o enterro na tarde do sábado (2) para que haja tempo do ex-presidente se deslocar até São Paulo.
 

Genival Inácio da Silva, de 79 anos, o Vavá, morreu no último dia 29 de janeiro, em São Paulo. A defesa de Lula havia pedido autorização à Justiça para que o ex-presidente pudesse comparecer ao velório.

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a ida quando o cortejo já deixava a capela onde o corpo foi velado, e Lula não deixou a cela em Curitiba.

Deixe um comentário