Destaque

Com investimento de R$ 9,3 milhões, governadora Raquel Lyra entrega novas viaturas e equipamentos para o Corpo de Bombeiros

Entre os itens adquiridos pela gestão estadual estão motos de salvamento aquático e câmeras termográficas, que vão auxiliar na busca...
Leia mais
Destaque

Campeonato rural de Afogados terá a maior premiação de sua história

O anúncio foi feito pelo Prefeito Sandrinho Palmeira neste domingo (21), durante a abertura do campeonato rural de futebol de...
Leia mais
Destaque

Jornalista diz ter sido intimidado por LW. “Você não me conhece”

O jornalista Dárcio Rabêlo, da Independente FM, disse há pouco em uma live que foi intimidado pelo prefeito Wellington Maciel....
Leia mais

Comissão do Senado aprova proibição de propaganda de cigarros até nos pontos de venda

A lei proíbe qualquer forma de propaganda

             Foto: Jose Britto/ Folha de Pernambuco

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (3) um projeto de lei que proíbe qualquer forma de propaganda de tabaco, cigarros, cigarrilhas, charutos e cachimbos até mesmo nos locais de venda. O texto ainda segue para a Câmara.

Pela proposta, também fica proibida a importação e a comercialização de cigarro com sabor. O projeto ainda transforma em infração gravíssima de trânsito o ato de fumar em veículos quando houver passageiros menores de 18 anos. Para esse tipo de infração é a perda de 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação(CNH) e multa de R$ 293,47. O texto original foi apresentado pelo senador José Serra (PSDB-SP) em 2015.

A vedação inclui a exposição dos produtos nos locais de venda, bem como a utilização de máquinas automáticas na comercialização de fumígeno. Também está proibida qualquer forma de propaganda, promoção e patrocínio institucional de empresas fabricantes ou exportadoras de cigarros e dos demais produtos especificados no projeto, inclusive a propaganda estática existente em estádios.

 A proposta também traz regras para as embalagens. A partir de regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as embalagens dos cigarros terão que apresentar padrão gráfico único e conter mensagens de advertência, acompanhadas de imagens ou figuras que ilustrem o sentido da mensagem.

Segundo a senadora Leila Barros (PSB-DF), relatora do projeto, um estudo financiado pelo Instituto Nacional de Câncer e pela Organização Panamericana de Saúde, divulgado em 2017, dá conta de que 12,6% das mortes no Brasil são atribuíveis ao tabagismo. Em números absolutos, são 156.216 óbitos por ano.

De acordo com informações da relatora, os custos anuais do consumo de tabaco para o país, traduzíveis em despesas médicas e perda de produtividade do trabalhador, chegam a R$ 56,9 bilhões, montante muito superior aos R$ 13 bilhões arrecadados pelo Estado na tributação dos produtos fumígenos. Ela também pondera que a expectativa de vida é menor entre fumantes em 6,7 anos para as mulheres, e em 6,1 anos para os homens.

Por outro lado, destaca Leila, a indústria afirma que a cadeia produtiva é responsável pela geração de 40 mil postos de trabalho em empresas de tabaco e envolve 150 mil produtores rurais, distribuídos em 566 municípios do sul do país.

Deixe um comentário