Destaque

Ministério da Saúde garante novo lote de vacinas contra a Covid-19

Na última sexta-feira (19), o Ministério da Saúde firmou um contrato crucial para a aquisição de 12,5 milhões de doses...
Leia mais
Destaque

Afogados da Ingazeira marca presença em congresso sobre sustentabilidade do SUS

O município de Afogados da Ingazeira marcou presença na 6ª Mostra “Pernambuco Aqui Tem SUS” durante o XIV Congresso do...
Leia mais
Destaque

Afogados: chuvas Intensas voltam a causar transtornos em pontos da cidade

As chuvas intensas que atingiram Afogados da Ingazeira na noite deste domingo (21), deixaram um rastro de transtornos e problemas...
Leia mais

Oficina de cordel chega a Custódia

Escola municipal da cidade vai receber oficinas sobre o gênero, de 16 a 21 de setembro, para beneficiar 80 alunos do Ensino Fundamental

Cordel como instrumento de aprendizado nas salas de aulas. É com essa proposta que as pesquisadoras e professoras Shirley Rodrigues e Eulina Fraga chegam a Custódia, no Sertão de Pernambuco. Após realizar o projeto “Cordel e poesia do cotidiano: um jeito de ler os leitores” no Recife, elas vão aplicar, de 16 a 21 de setembro, a iniciativa na Escola Municipal Ernesto Queiroz.

“Como o cordel está diretamente ligado à cultura sertaneja, seja como inspiração ou pelos traços e elementos, inserimos no cronograma uma escola da região”, conta Shirley, uma das realizadoras. Nesta segunda etapa, vão participar três turmas do Ensino Fundamental II. Serão 80 alunos, com idade superior a 14 anos, aprendendo sobre a história e evolução do gênero, que é Patrimônio Imaterial Cultural Brasileiro, e estimulados a produzir conteúdo.

Também serão apresentadas as várias formas de utilizar o cordel na sala de aula, como leituras jogral, esquetes teatral e musicado. Durante a semana, eles vão participar das atividades: Contexto histórico e pesquisa sobre o cordel; Técnicas de produção de textos de cordéis, métrica e rima; Produção individual dos alunos; Técnicas da xilogravura; e Produção escrita e gráfica dos cordéis. Além da presença delas, as salas de aula contarão com uma professora de braile/libras para auxiliar os alunos com deficiência auditiva e visual. O projeto será encerrado com um recital na escola, tendo a presença dos cordelistas Paulo Moura, do Recife, e Elis Almeida, de Triunfo.

Deixe um comentário